Aposentado; Professor de Física na FFCL da USP de Ribeirão Preto - SP; Perito em acidente de trânsi

sexta-feira, 24 de março de 2017

dan2010: Assim disse RENAN CALHEIROS

dan2010: Assim disse RENAN CALHEIROS: ⟪ O SR. PRESIDENTE (Eunício Oliveira. PMDB - CE) – Concedo a palavra, como próximo orador inscrito, ao Senador Renan Calheiros. [ I nício d...

quinta-feira, 9 de março de 2017

dan2010: Perdido no tempo

dan2010: Perdido no tempo: Por Bernardo Mello Franco   Em mais um esforço para tentar melhorar a imagem presidencial, o governo organizou uma solenidade em home...

Perdido no tempo


Por Bernardo Mello Franco
 
Em mais um esforço para tentar melhorar a imagem presidencial, o governo organizou uma solenidade em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. O palácio ficou cheio, mas a ideia se revelou um desastre. E desta vez não há como jogar a culpa no marqueteiro.
 
Diante de uma plateia majoritariamente feminina, Michel Temer cometeu deslizes em série. "Tenho absoluta convicção, até por formação familiar e por estar ao lado da Marcela, do quanto a mulher faz pela casa, do quanto faz pelo lar", disse.
 
"Na economia, também, a mulher tem uma grande participação. Ninguém mais é capaz de indicar os desajustes, por exemplo, de preços em supermercados", acrescentou.
 
O discurso constrangeu parlamentares e servidoras convidadas para a cerimônia. Nas redes sociais, a repercussão foi ainda pior.
 
A secretária de Políticas para as Mulheres, Fátima Pelaes, tentou defender o chefe. "O presidente Michel é muito mais do que palavras", disse. Fora dos microfones, aliados reconheceram a bola fora. Não foi a primeira neste campo.
 
Ao suceder a primeira presidente mulher, Temer montou um ministério só de homens, num retrocesso à era Geisel. Completou a obra ao rebaixar a Secretaria das Mulheres ao segundo escalão do governo.
 
Em outro trecho do discurso desta quarta (8), Temer reforçou a impressão de não ter entendido que estamos em 2017. Ele exaltou o fato de que as brasileiras passaram a votar. "A mulher representa, e representava no passado, 50% da população brasileira. E, sem embargo, o fato é que 50% estava excluído", disse.
 
O voto feminino foi instituído em 1932. Oitenta e cinco anos depois, a exclusão persiste de outras formas. Apesar de serem maioria no eleitorado, as mulheres não ocupam nem 12% das vagas no Congresso. No mercado de trabalho, a discriminação também continua. É o que mostram os dados oficiais sobre renda e emprego, que Temer deveria conhecer. 
Fonte: Folha de SP
Alfio Bogdan - Físico e Professor - analista em acidente de trânsito

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

dan2010: Solução para o Alzheimer segundo o Nobel de Medici...

dan2010: Solução para o Alzheimer segundo o Nobel de Medici...: Nobel da Medicina diz que memória perdida por Alzheimer pode ser recuperada O Segredo   •  20 de março de 2016 Pessoas que sofrem...

Solução para o Alzheimer segundo o Nobel de Medicina


Nobel da Medicina diz que memória perdida por Alzheimer pode ser recuperada



Pessoas que sofrem da Doença de Alzheimer podem não ter “perdido” a memória e têm apenas dificuldades em recuperá-la, concluem investigadores conduzidos pelo Nobel da Medicina Susumu Tonegawa, que na quarta-feira revelaram a possibilidade de um tratamento curar os estragos provocados pela demência.
O prêmio Nobel da Medicina Susumu Tonegawa (1987) defende que o estímulo de áreas específicas do cérebro com luz azul permite a ratos de laboratório recuperarem experiências e memórias que pareciam esquecidas.
Os resultados fornecem algumas das primeiras evidências de que a doença de Alzheimer não destrói por completo as memórias específicas, torna-as “apenas inacessíveis”.
“Como seres humanos e ratos camundongos tendem a ter princípios comuns em termos de memória, os nossos resultados sugerem que os pacientes com a doença de Alzheimer, pelo menos nos estádios iniciais, podem preservar a memória. Ou seja há hipóteses de cura”, comentou Susumu Tonegawa à agência de notícias France Presse.
A equipe de Tonegawa usou este tipo de animais geneticamente modificados para mostrar sintomas semelhantes aos dos seres humanos que sofrem de Alzheimer, uma doença degenerativa do cérebro que afeta milhões de adultos em todo o mundo. A Organização Mundial de Saúde estima que em 2050 a demência afete 131 milhões de pessoas.
Os animais foram colocados em caixas cuja superfície inferior estava eletrificada, causando uma descarga desagradável, mas não perigosa, sobre os seus membros sempre que os animais tocassem nessa estrutura.
Um rato que não tem Alzheimer desenvolve comportamentos medrosos, evitando a sensação desagradável.
Camundongos com Alzheimer não reagem da mesma forma, indicando que não guardam nenhuma memória da experiência dolorosa.
No entanto, quando os cientistas estimulam áreas específicas do cérebro dos animais – as chamadas “células de engramas” relacionadas com a memória – usando uma luz azul, os ratos acabam por se lembrar da sensação desagradável ou pelo menos desenvolvem comportamentos para evitar os choques elétricos.
cerebro1
O mesmo resultado foi observado também quando os animais eram colocados num recipiente diferente durante o estímulo, o que sugere que a memória se manteve.
Ao analisar a estrutura física do cérebro dos ratos, os investigadores mostraram que os animais afetados com a doença de Alzheimer tinham menos “espinhas dendríticas”, através das quais as conexões sinápticas são formadas.
Com a repetição dos estímulos lumínicos, os animais podem incrementar o número de espinhas dendríticas atingindo o níveis dos ratos saudáveis.
“A memória de ratos foi recuperada através de um sinal natural”, disse Tonegawa, referindo-se ao recipiente que causava o comportamento de medo.
“Isto significa que os sintomas da doença de Alzheimer em camundongos foram curados, pelo menos nos estádios iniciais”, disse.
A investigação, patrocinada pelo Centro RIKEN-MIT para Genética de Circuitos Neurais, é a primeira a mostrar que o problema não é a memória, mas as dificuldades na sua recuperação, explica o centro com sede no Japão.
“É uma boa notícia para os pacientes de Alzheimer”, acrescenta Tonegawa por telefone à AFP, a partir do escritório em Massachusetts. Tonegawa obteve em 1987 o prémio Nobel da Medicina.

dan2010: Julgam-se os atos e comportamentos e não as pessoa...

dan2010: Julgam-se os atos e comportamentos e não as pessoa...: Conta-se que às margens de um rio havia uma pobre choupana e nela vivia um casal muito pobre. A mulher, todos os dias saia a pescar o pei...

Julgam-se os atos e comportamentos e não as pessoas

Conta-se que às margens de um rio havia uma pobre choupana e nela vivia um casal muito pobre. A mulher, todos os dias saia a pescar o peixe para alimentação. Num certo dia fisgou um peixe estranho e o peixe logo foi falando. Não vê que sou diferente? Vc não pode me matar porque fui condenado a viver como peixe por todos os meus dias. Com outros peixes foi para casa e falou com o marido sobre o ocorrido. O marido esperto disse à mulher, vá e peça ao peixe para transformar nossa choupana num castelo. Lá foi a mulher e garrou a chamar pelo peixe que não tardou a se chegar. O que queres de mim? Quero de transforme minha casa num castelo e a mim e meu marido em príncipe e princesa. Tudo bem, farei como pediu. Ao chegar à casa deparou-se com um castelo e com toda pompa lá estava seu marido cercado por serviçais.
Mais alguns dias o marido mandou-lhe que pedisse ao peixe a transformação de todas as terras em um reinado. Que queres agora, perguntou – peixe após ter sido chamado – Fez o pedido como determinou seu marido. Vás e verás o que acontecerá. Tudo aconteceu conforme o pedido e o marido transformado em Rei com seus serviçais e todas as terras a perder de vista. Mas não ficando contente o marido que ser o Papa e a mulher relutou e acabou por ceder à pressão do marido e lá foi ela ao peixe mágico. Tal como o marido queria, foi transformado em Papa com os cardeais e bispos a seu redor. Passado um tempo e o marido como o Papa estava insatisfeito e foi à mulher.    Quero ser Deus! Ah! Não, agora já é demais. Mas após muita pressão, lá foi a mulher e gritou pelo peixe. Já dando sinais de transtorno o peixe foi logo dizendo. O que queres mais de mim? Meu marido quer ser Deus. Está bom disse-lhe o peixe, vá e verá o que aconteceu. Ao chegar à casa viu a choupana e o marido totalmente desfigurado sentado à soleira da porta. Boff comparou o marido da mulher com São Francisco de Assis: “desejo pouco e o pouco que desejo é pouco”. Leonardo Boff trouxe uma história de onde tirei estas poucas linhas que se pôs a conta-la não sem antes apresentar um questionamento: Não se julgam as pessoas e sim seus atos e comportamentos que são coisas objetivas. Foi decorrente da análise do comportamento de Eike Batista que queria ser o homem mais rico do mundo revestindo-se de absoluta arrogância e soberba. As iniciais de seu nome denominavam suas empresas: EBX, onde o X queria dizer multiplicação. Não nos esqueçamos da coleira com a qual sua ex-esposa desfilou num carnaval.  
Prof. Alfio Bogdan - Físico e professor - analista em acidentes de trânsito.